USO DE RADIOISÓTOPOS PARA DIAGNÓSTICO

  • Adriano Marcelino Lobo Filho
  • Julia Moraes Paes
  • Vitor Valente Fiorio
  • Ludmilla Carvalho Rangel Resgala
Keywords: Radioisótopos, medicina nuclear, radionuclídeos, diagnóstico

Abstract

A medicina nuclear usa substâncias radioativas para diagnosticar e tratar doenças. Esse ramo médico, eficiente em proporcionar comunicados fisiológicos e metabólicos, se tornou uma ferramenta crucial para a constatação prévia de muitos problemas relacionados à saúde humana, sobretudos vários tipos de células malignas. Nesse sentido, para o diagnóstico, utilizam-se frequentemente os radioisotópicos artificiais, os quais são chamados de radiotraçadores. Esses radioisótopos, ao serem carregados, pelo corpo do indivíduo, emitem radiações que permitem seu monitoramento, sabendo por onde passaram e onde se depositaram. Isso permite que o médico possa fazer um mapeamento de órgãos, e assim conseguir finalizar o diagnóstico. Ademais, para as aplicações de diagnóstico na Medicina Nuclear utilizam-se radiofármacos que possuem na sua estrutura radionuclídeos emissores de radiação γ (gama) ou de pósitrons (β+). O presente artigo descreve brevemente a o início históricos da medicina nuclear, os princípios biofísicos relacionados ao diagnóstico por radioisótopo, bem como básicos conceitos de radioatividade.Para a realização do artigo foram utilizados como bases diversos artigos científicos relacionados ao tema.

Downloads

Download data is not yet available.
Published
2020-05-26
How to Cite
Marcelino Lobo Filho, A., Moraes Paes, J., Valente Fiorio, V., & Carvalho Rangel Resgala, L. (2020). USO DE RADIOISÓTOPOS PARA DIAGNÓSTICO. Revista Interdisciplinar Pensamento Científico, 5(5). Retrieved from http://reinpec.org/reinpec/index.php/reinpec/article/view/517