OS BENEFÍCIOS DA TERAPIA INDIVIDUAL DE ESTIMULAÇÃO DE LINGUAGEM COM BASE NO MODELO DIR FLOORTIME PARA A AQUISIÇÃO E O DESENVOLVIMENTO DA PRAGMÁTICA EM CRIANÇAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA (TEA)

  • Jaylla Figueiredo Machado
  • Carolina de Freitas do Carmo
  • Mônica Marins da Silva
Keywords: Autismo; Fonoaudiologia; Linguagem Infantil; Socialização; Terapia da Linguagem

Abstract

Objetivo: expor os benefícios que a terapia individual de estimulação de linguagem associada aos aspectos básicos do modelo DIR e de sua principal abordagem, o Floortime, podem trazer para a aquisição e o desenvolvimento de habilidades fonoaudiológicas específicas da população autista infantil, como a utilização da linguagem verbal e/ou não verbal na pragmática. Métodos: 4 crianças do sexo masculino, de 5 anos de idade e diagnosticadas com TEA, foram avaliadas através do Teste de Linguagem Infantil (ABFW), na área de Pragmática e reavaliadas após 6 meses de estimulação de linguagem em conjunto ao modelo DIR Floortime. Resultados: diminuição do percentual dos atos comunicativos gestuais e aumento do número total de atos comunicativos expressos pela criança, do número total de atos comunicativos expressos por minuto pela criança, do percentual do espaço comunicativo ocupado pela criança e do percentual total dos atos comunicativos verbais e vocais. Conclusão: evolução no perfil pragmático da comunicação de todos os sujeitos da pesquisa, uma vez que as interações interpessoais e sociais, assim como o espaço comunicativo aumentaram juntamente com a intenção comunicativa a partir da utilização da estimulação de linguagem baseada no modelo DIR Floortime.

Downloads

Download data is not yet available.
Published
2020-07-31
How to Cite
Figueiredo Machado, J., de Freitas do Carmo, C., & Marins da Silva, M. (2020). OS BENEFÍCIOS DA TERAPIA INDIVIDUAL DE ESTIMULAÇÃO DE LINGUAGEM COM BASE NO MODELO DIR FLOORTIME PARA A AQUISIÇÃO E O DESENVOLVIMENTO DA PRAGMÁTICA EM CRIANÇAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA (TEA). Revista Interdisciplinar Pensamento Científico, 6(1). Retrieved from http://reinpec.org/reinpec/index.php/reinpec/article/view/548