PREVALÊNCIA DE HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA ASSOCIADA A FATORES DE RISCO CARDIOVASCULAR NA POPULAÇÃO DE UM MUNICÍPIO DA REGIÃO NOROESTE FLUMINENSE

  • Matheus Vieira Coelho Portes
  • Rober Marthan Oliveira de Carvalho Hentz
  • Danillo Antunes Merat
  • Virgínia de Souza Guimarães Merat
  • Paulo Cavalcante Apratto Júnior
Keywords: hipertensão; fatores de risco; doenças cardiovasculares.

Abstract

As doenças de aparelho circulatório estão entre as principais causas de morte na maioria dos países do mundo. Os fatores de risco para doenças cardiovasculares (DCV) são divididos em: modificáveis (ambientais e comportamentais) e não modificáveis (genéticos e biológicos). O estudo de Framingham, realizado nos Estados Unidos, confirma a importância de alguns fatores fortemente relacionados com aterosclerose e suas manifestações clínicas, como tabagismo, dislipidemia, diabetes mellitus (DM), história familiar, hipertensão arterial sistêmica (HAS), sedentarismo, obesidade, síndrome plurimetabólica e ingesta de álcool. Intervenções relacionadas à promoção da saúde, prevenção e controle da obesidade e das DCV, como incentivo à prática de atividade física, abandono do tabagismo e educação nutricional da população, mostram grande importância por resultarem na redução de peso, dos níveis plasmáticos de lipídeos, glicose e da pressão arterial (PA), reduzindo o risco cardiovascular. O objetivo deste trabalho é quantificar o número de pessoas com HAS e outras comorbidades, que realizam tratamento ou não, correlacionando com os fatores de risco e conscientizando-as sobre a importância do tratamento. Realizou-se um estudo observacional descritivo de caráter não intervencionista, em uma ação social realizada no município de Itaperuna/RJ. O público foi abordado aleatoriamente e convidado a participar da pesquisa, com perguntas acerca de idade, sexo, etnia, DM, HAS, dislipidemia, tabagismo e etilismo, e logo após, realizada a aferição da PA, frequência cardíaca, glicemia, índice de massa corporal e circunferência abdominal. Os resultados deste estudo com 149 pessoas na ação social, sendo 65,1% do sexo feminino e 34,9% do sexo masculino, 19,5% com HAS, sendo 2,68% sem realizar qualquer tratamento, e associação entre HAS e dislipidemia em 6% dos entrevistados. Os principais fatores de risco para DCV encontrados foram: histórico de DCV na família em 59,7%, sedentarismo em 53%, sobrepeso em 46,3%, hiperglicemia em 41,07% e DM em 8,1% dos indivíduos entrevistados. Em relação ao estado de saúde atual e estilo de vida dos participantes do estudo, obteve-se dados como: 37,6% etilistas, 11,4% tabagistas e 10,7% dislipidêmicos. A pesquisa permitiu coletar dados sobre a PA durante a ação social, correlacionando-os com fatores de risco para desenvolvimento de DCV; orientar quanto à necessidade de auxílio médico nos casos de HAS detectada; incentivar mudanças nos hábitos de vida, destacando os riscos do tabagismo, dislipidemia e necessidade da prática de atividade física; e responder dúvidas que surgiram.

Downloads

Download data is not yet available.
Published
2020-07-31
How to Cite
Vieira Coelho Portes, M., Marthan Oliveira de Carvalho Hentz, R., Antunes Merat, D., de Souza Guimarães Merat, V., & Cavalcante Apratto Júnior, P. (2020). PREVALÊNCIA DE HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA ASSOCIADA A FATORES DE RISCO CARDIOVASCULAR NA POPULAÇÃO DE UM MUNICÍPIO DA REGIÃO NOROESTE FLUMINENSE. Revista Interdisciplinar Pensamento Científico, 6(1). Retrieved from http://reinpec.org/reinpec/index.php/reinpec/article/view/549